90FM - FACE 01

Preso em hotel de Campo Grande diz que comparsas mataram taxista para roubar dinheiro da conta bancária

Vítima ainda teve as mãos amarradas com enforca gato

Por Thatiana Melo/Lívia Bezerra em 13/06/2024 às 18:35:17

Policiais do Garras no momento da prisão

Os tr√™s criminosos suspeitos de matar o taxista Devanir da Silva Santos, de 52 anos, em Ribas do Rio Pardo, a 97 quilômetros de Campo Grande, mataram a v√≠tima para roubar dinheiro de sua conta banc√°ria. O trio foi preso nesta quinta-feira (13) pelo Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestro), sendo dois na Capital e um na cidade onde ocorreu o crime.

Logo após o crime, o trio foi para a Capital e abandonou o carro da v√≠tima na Vila Santa Dorotheia. Um morador viu os criminosos fugindo a pé até um supermercado nas proximidades e estranhou o fato deles estarem agasalhados num dia muito quente.

Os policiais iniciaram dilig√™ncias e localizaram um dos criminosos, de 35 anos, em um hotel na Avenida Afonso Pena com um revólver calibre .38 escondido embaixo de um dos colchões, com uma munição.

À pol√≠cia, ele disse que o taxista foi provavelmente assassinado para poderem roubar dinheiro de sua conta banc√°ria. Contudo, o homem negou ter participado do crime e disse que acredita que os dois comparsas que assassinaram Devanir e o deixaram próximo a um posto de combust√≠veis.

Arma apreendida. (Reprodução)


Após a prisão, os policiais obtiveram a informação de que um dos criminosos ainda retornou para Ribas do Rio Pardo de t√°xi. O taxista foi ouvido pela pol√≠cia e confirmou que houve o pedido de viagem do hotel da Capital até a cidade. Diante disso, as equipes do Garras retornaram para a cidade para tentar localizar o restante.

Em Ribas do Rio Pardo, no bairro Estoril, outro criminoso de 28 anos, foi preso em sua casa. Ele tentou fugir pelos fundos da casa para pular os muros, mas caiu e foi preso.

Com ele foi encontrada uma munição calibre .38, com as mesmas caracter√≠sticas da munição apreendida no revólver encontrado no hotel e um boné usado pelo comparsa no hotel da Capital. O boné j√° havia sido visto pelos policiais através de câmeras de segurança do hotel.

As dilig√™ncias seguiram no sentido de localizar o √ļltimo suspeito. Foi então que os policiais receberam a informação de que o criminoso havia retornado ao hotel na Avenida Afonso Pena. Mas, o autor de 24 anos foi preso em uma pousada no bairro Universit√°rio.

Depois da prisão, os autores indicaram o local onde estava o corpo do taxista. Foi feita varredura na √°rea de mata próxima ao local prov√°vel do crime, onde foi localizado, o corpo da v√≠tima assassinado a tiros.

A per√≠cia ainda constatou que os criminosos usaram "enforca-gato" – pl√°sticos de retenção – para prender as mãos do taxista. Uma faca também foi encontrada dentro do carro da v√≠tima e apreendida para ser periciada.


Devanir da Silva Santos, Taxista havia desaparecido na terça-feira (11)

O taxista desapareceu na terça (11) junto de seu ve√≠culo Corolla. Os amigos divulgaram seu sumiço em redes sociais. Logo depois, foi descoberto pela pol√≠cia que o taxista havia sido assassinado.

Foi representada pela conversão da prisão em flagrante dos suspeitos em prisão preventiva. Eles deverão passar por audi√™ncia de custódia.

Fonte: Midiamax

Comunicar erro
ALERTA GRANDE

Coment√°rios

Anuncie 3