90FM - FACE 01

Homem é preso usando CNH de taxista de Ribas do Rio Pardo, vítima de latrocínio

Documento usado era de Devanir da Silva Santos que foi assassinado a tiros em Ribas

Por Campo Grande News em 04/07/2024 às 16:02:30

Devanir da Silva Santos, de 35 anos, foi assassinado a tiros na cidade de Ribas do Rio Pardo no dia 11 de junho.

Um homem, que não teve nome e nem idade divulgada, foi preso após ser pego usando carteira de habilitação de taxista v√≠tima de latroc√≠nio. Devanir da Silva Santos, de 35 anos, foi assassinado a tiros na cidade de Ribas do Rio Pardo no dia 11 de junho.

Conforme divulgado pela PRF (Pol√≠cia Rodovi√°ria Federal), na noite desta quarta-feira (3) os policiais abordaram um Chevrolet Onix durante fiscalização a BR-267, em Nova Alvorada do Sul.

Na abordagem, o motorista apresentou uma CNH com foto que não se parecia com ele. Ao consultar o sistema, os policiais descobriram que a habilitação pertencia ao taxista Devanir da Silva Santos, que foi morto m√™s passado.

Pela consulta, foi poss√≠vel identificar que o condutor do Onix é natural de Ribas do Rio Pardo, cidade onde o crime ocorreu. Quando questionado, o homem não soube informar o motivo de estar com a CNH de Devanir. O motorista foi preso e conduzido para Pol√≠cia Civil.

Relembre o caso

Alan Rodrigues da Silva, de 24 anos, Gabriel Filipe Lima Felix, de 28 anos, e Zico José da Silva, de 35 anos, foram presos pelo roubo seguido de morte do taxista Devanir, na cidade de Ribas do Rio Pardo.

A investigação apontou que o trio obrigou a v√≠tima fazer transfer√™ncias banc√°rias e, após mat√°-la com tr√™s tiros, fugiu com o carro Toyota Corolla.

Interrogados, os tr√™s amigos confessaram o crime e disseram que a intenção era apenas roubar Devanir. Eles pediram a corrida e no trajeto, anunciaram o assalto. Contudo, houve desentendimento entre os suspeitos e a v√≠tima, conforme a pol√≠cia. O motivo desse desentendimento não foi informado pela pol√≠cia.

Foi então que Devanir foi levado para uma √°rea afastada de Ribas do Rio Pardo, onde foi morto a tiros. Foram tr√™s disparos, que atingiram a cabeça, mão e perna da v√≠tima, que também estava amarrada pelas mãos com um enforca-gato. O carro da v√≠tima foi localizado em Campo Grande.

Apesar de a Pol√≠cia Civil afirmar que houve transfer√™ncias banc√°rias suspeitas, a pol√≠cia só ter√° informações sobre valores depois que a Justiça autorizar a quebra de sigilo banc√°rio.

Alan, apontado como atirador que matou o taxista, j√° tem passagem pelo mesmo crime no Paran√°. Gabriel e Zico não possuem ficha criminal, segundo a pol√≠cia. Os tr√™s respondem por latroc√≠nio, ocultação de cad√°ver e posse ilegal de arma de fogo. A defesa de Gabriel j√° havia se manifestado pedindo a liberdade provisória.

Fonte: Campo Grande News

Comunicar erro
ALERTA GRANDE

Coment√°rios

Anuncie 3